08-09-2014

“A Cimenteira do Louro” finta a crise com inovação

Esteve ligada às grandes obras públicas do país e os seus pavimentos fazem parte da imagem da maioria das cidades de Portugal. “A Cimenteira do Louro”, que foi visitada nesta segunda-feira, 8 de setembro, pelo Presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, no âmbito do programa “Famalicão Made IN”, é uma imagem de marca de Vila Nova de Famalicão, tendo sido criada há 76 anos por Manuel Leitão “depois de ter tirado o curso em betão como ajudante de trolha”. O empresário famalicense, que dedica ainda oito horas por dia à sua empresa, é um homem que vive o dia de amanhã e que acredita na força do trabalho e da persistência.

Foram esses valores que estiveram na base do nascimento de uma das maiores empresas cimenteiras do país e foram eles os grandes responsáveis pela empresa manter a vitalidade depois da crise que nos últimos anos abalou de forma particularmente dura o setor da construção. Com os olhos postos no amanhã, a empresa investiu na inovação e investigação e diversificou o seu catálogo de produtos.

Hoje, “A Cimenteira do Louro” continua a fornecer peças em betão para as grandes construtoras nacionais, mas também já sugere às pessoas a opção pela utilização doméstica de pavimentos sobrelevados que possibilitam a mudança de pavimento com a mesma facilidade com que se troca um sofá, sem colas, cimentos e mão-de-obra especializada. A criação de uma vasta gama de revestimentos técnicos em betão, que recriam atmosferas rústicas e imitam diversos tipos de madeira e de pedra antiga, são outros dos novos produtos desenvolvidos recentemente por esta empresa de base familiar, onde diariamente se cruzam avô, filhos e netos.

O mercado externo já percecionou a qualidade destes novos produtos d’"A Cimenteira do Louro” e já absorve a maioria da produção. Entretanto, a empresa faz do seu know-how uma mais-valia na Península Arábica, mais particularmente em Omã, onde nasceu a OPCP - Oman Portuguese Cement Products.

Paulo Cunha enalteceu a “permanente disponibilidade da empresa em ir de encontro ao mercado, não baixando os braços perante novos contextos e desafios”. Para o autarca famalicense, a dinâmica empresarial de Manuel Leitão e da sua família é um “magnífico exemplo” da capacidade empreendedora dos empresários famalicenses. “A Cimenteira do Louro é uma das coisas boas que Famalicão tem”, concluiu.

Partilhar ››

‹ VOLTAR