03-03-2015

AMOB curva o mundo há 55 anos

Com mais de 14 mil máquinas instaladas pelo mundo, uma das maiores empresas mundiais no fabrico de equipamentos para a curvatura e conformação de tubos e perfis está sediada em Vila Nova de Famalicão e acaba de concluir um investimento de 30 milhões de euros, essencialmente com capitais próprios, que permitiu modernizar e expandir a área de produção para 18.000m2.

A AMOB, conceituada mundialmente por produzir máquinas customizadas para vários setores industriais, foi capaz de em 2010 desafiar a conjuntura económica mundial adversa, apostando numa estratégia de expansão e modernização da capacidade instalada em infraestruturas e tecnologia que possibilitou também duplicar o número de postos de trabalho.

A nova e imponente área de produção está equipada com tecnologia de ponta, contando-se centros de maquinação, tornos, fresadoras e equipamentos para corte e curvatura de chapa, para “garantir elevados níveis de fabricação, a melhor qualidade e uma resposta eficaz aos desafios do mercado global”, apontam os irmãos Manuel e Luís Barros, a segunda geração da família na gestão desta empresa que hoje foi visitada pelo presidente da Câmara Municipal no âmbito do roteiro Famalicão Made IN.

O sucesso da AMOB fundada em 1960, na freguesia do Louro, mede-se também pelos números que apresenta atualmente: 15,5 milhões de euros em volume de negócios em 2014 (o maior da história da empresa), dos quais 3 milhões de euros resultaram de vendas para o mercado indiano, 460 máquinas fabricadas em 2014, 14 mil máquinas instaladas em 80 países de 3 continentes e 130 colaboradores altamente especializados. O ano de 2015 promete ser ainda mais auspicioso, com previsões de um incremento na ordem dos 15%, o que significa mais faturação, mais emprego e mais trabalho.

Máquinas à medida

Uma vantagem competitiva em todo o mundo e um fator altamente diferenciador é o que a AMOB conquista com o facto de produzir máquinas customizadas, ou seja, “à medida das exigências do cliente” para as indústrias naval, militar, química, petrolífera, aeronáutica e automóvel, entre outras.

É o caso da MAH 1000, a maior máquina de arquear hidráulica do mundo, destinada à indústria de extração de minério, que foi vendida a uma empresa espanhola com capitais chineses. Uma máquina grandiosa, totalmente projetada e construída em Vila Nova de Famalicão pela AMOB, com 175 toneladas de peso e 20.000cm3 de secção.

À empresa apenas chega o aço em bruto. Depois são os seus profissionais que estudam a conceção e a transformação da matéria-prima em máquinas industriais de última geração, com todos os componentes, incluindo a robótica e o software.

Entre esses profissionais estão jovens engenheiros que a AMOB vai buscar às universidades para dar formação e contratar, um processo que Paulo Cunha elogia. “Reter e gerar talentos é o que meritoriamente a AMOB faz, servindo de antecâmara para grandes contratações e para que os seus colaboradores se sintam realizados profissionalmente”, sublinha.

O autarca enalteceu ainda a “dinâmica empreendedora, a audácia e o arrojo” deste projeto empresarial, com um forte contributo para o Produto Interno Bruto e o equilíbrio da balança comercial do país, considerando existir “uma dimensão de reconhecimento público de todo o município” pelo trabalho que vem desenvolvendo.

Com instalações produtivas em Portugal e representações comerciais em Espanha, Brasil e Rússia, a AMOB garante assim presença global e proximidade a importantes mercados. Facto de extrema relevância já que 90% do que produz é para vender ao exterior.

Resultado dessa experiência em palcos internacionais, a AMOB aceitou o recente convite da Câmara Municipal para ser embaixadora empresarial de Vila Nova de Famalicão no Brasil, apoiando novas empresas do concelho a explorar comercialmente as potencialidades de uma das economias mais fortes do mundo.

Partilhar ››

‹ VOLTAR