03-09-2019

Câmara já ajudou a criar mais de mil postos de trabalho com os projetos Made 2IN

Os projetos de investimento empresarial realizados em Vila Nova de Famalicão que beneficiaram da declaração de interesse público municipal ao abrigo do regulamento Made 2IN garantiram a criação de 1172 postos de trabalho entre 2015 e 2018. A Câmara prescindiu de 2,3 milhões de receita fiscal com os benefícios atribuídos às empresas, mas ajudou a garantir desta forma uma fatia significativa do emprego criado nesse período no concelho.

“Foi um esforço financeiro que valeu a pena”, diz o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, lembrando que a criação do Regulamento Municipal Made 2IN teve precisamente como objetivo “cativar novos negócios para o concelho, geradores de mais e melhor emprego”.

O Regulamento Made 2IN está em vigor desde finais de 2014 e até agora foram aprovados 55 projetos empresariais de interesse municipal que representaram um investimento global de quase 190 milhões de euros.

Os números relativos a 2018 do Made 2IN, foram dados a conhecer na passada quinta-feira, 29 de agosto, na reunião do Executivo Municipal, e revelam a concretização de um montante de investimento superior a 52 milhões de euros no ano passado nos 14 projetos aprovados que significaram a criação direta de 91 novos postos de trabalho.

A construção da nova unidade industrial do grupo RNM, em Landim, o lançamento do inovador projeto NITRO por parte da Raclac e a ampliação das instalações da Vieira de Castro foram alguns dos projetos apoiados em 2018 pela Câmara Municipal nesse âmbito e que assim beneficiaram da concessão de benefícios fiscais quanto ao IMI, ao IMT e às taxas de licenciamento de operações urbanísticas. Com o apoio a estes 14 projetos empresariais de interesse municipal, o município atribuiu incentivos no montante global de 380 mil euros.

Em abril deste ano, o regulamento passou a ter novos critérios de classificação, dando mais ênfase ao emprego criado e à sua qualidade do que ao montante de investimento realizado. Com as alterações introduzidas, passou também a valorizar-se a celebração de contratos de trabalho por tempo indeterminado – quando antes não era feita qualquer distinção entre contratos com e sem termo – e as empresas que melhorem a sua massa salarial anual total. O novo Regulamento Made 2IN introduziu também alterações nos benefícios fiscais concedidos aos empresários. A redução do valor das taxas das operações urbanísticas pode ir agora até aos 100%, contra o máximo de 50% previsto no anterior regulamento.

“Privilegiar a qualidade do trabalho e dessa forma valorizar as pessoas foi o grande objetivo das alterações introduzidas”, refere a propósito o vereador para a Economia, Empreendedorismo e Inovação, Augusto Lima, falando “numa adaptação do regulamento aos contextos conjunturais da realidade”.

Partilhar ››

‹ VOLTAR